domingo, 25 de janeiro de 2009

Uma tremenda desilusão

O Nacional 1, Sporting 1 (Vukcevic), que podia levar a equipa para a frente da classificação, foi uma tremenda desilusão. O Sporting não teve a sorte do Benfica e do Porto nos jogos com o Braga (casos de Polícia Judiciária), porque se tivesse tido certamente que o golo anulado a Liedson (estava fora-de-jogo) teria contado e assim a vitória dificilmente nos escaparia. Mas mais do que falta de sorte para o árbitro nos beneficiar (que agora é o que parece que faz os campeões), creio que a falta de qualidade é que foi o problema. Deixo algumas notas…
- Rui Patrício confirmou que é um guarda-redes problemático, com um frango e uma saída maluca que podia ter dado uma grande penalidade (depois defendeu a que o árbitro marcou, como noutras vezes tem feito, tirando aquelas em que se trata de jogos decisivos, de desempate, em que não agarra uma bola);
- A asneira de Abel ao empurrar um adversário dentro da grande área (Abel que até é um bom jogador) é imperdoável;
- Polga, um dos jogadores mais azelhas que já passou pelo clube, mas também um dos mais lutadores, agora, inexplicavelmente, não mostra interesse pelo jogo e os seus níveis de aplicação estão ao nível dos fraquíssimos níveis de Caneira;
- Rochemback em campo – lento, gordo, longínquo – desmotiva qualquer adepto;
- Paulo Bento continua incapaz de reagir às adversidades, como se viu neste jogo depois de estar a perder, e além disso teima na asneira nas escolhas que faz (o que está a fazer a Yannick, além de desumano, é de uma enorme estupidez que só penaliza o clube).
.

2 comentários:

Santarém disse...

Meu caro, o Yannick não foi convocado porque tem uma lesão que ainda vai durar pelo menos 2 semanas.
O Abel, coitado, é bom rapaz, mas daí a ser um bom jogador ...
O problema neste jogo, foi o abono-de-família ter sido obrigado a sair. E, infelizmente, viu-se que pouco sobrou.

amv disse...

Sim, mas mesmo quando está bom o Yannick parece que está posto de lado pelo treinador. Quanto ao Abel, eu acho melhor ter em campo os jogadores que sabem jogar do que os que se atrapalham quando a bola está a menos de dois metos (caneiras, puroviques, custódios, polgas e companhia de limitados); mas desta vez o Abel passou-se mesmo da cabeça. Concordo com o problema ter sido a saída do «abono de família», que curiosamente ainda há pouco tempo estava completamente abandonado pela família, principalmente pelo chefe.

Abraço,

António