quinta-feira, 16 de outubro de 2008

O jogo de ontem

Custa-me dizer isto, mas parece-me que Carlos Queiroz tem sido pouco profissional.
(clicar nas imagens para aumentar)

4 comentários:

Luís Graça disse...

A grande diferença entre o Portugal de Scolari e o Portugal de Queiroz é esta: o que era "estrelinha" no Portugal de Scolari é "galo" no Portugal de Queiroz.

Desculpa? Nenhuma. O Mundial de 2010 já lá vai. Mau para o desporto nacional? Pelo contrário. O futebol é um eucalipto que seca tudo à volta.

Muitas vezes, o que é bom para o futebol é mau para o desporto em geral, levando o país por tabela (veja-se o sorvedouro de dinheiro que foi o Euro 2004 e o "elefante branco" de estádios às moscas).

O projecto olímpico de Londres 2012 pode ter tudo a ganhar com a ausência de Portugal no Mundial de 2010.

As fases de qualificação de Scolari (com o Brasil e com Portugal) foram sofríveis. E teve a "estrelinha" nas fases finais.

Ao Portugal de Queiroz faltou "estrelinha" (com a Dinamarca), ambição (com a Suécia) e...quase tudo (com a Albânia).

Para que as vedetas do gel no cabelo e brinco na orelha percebam que a África do Sul é sempre possível...em férias. Se comprarem bilhetes de avião.

Não me gozem. Não acredito que Portugal possa chegar ao segundo lugar do grupo. Começando já pela recepção à Suécia, a 28 de Março. Os suecos vão chegar a Portugal moralizados e completamente à-vontade no capítulo psicológico.

Os jogadores portugueses estarão já desgastados do campeonato, a jogar sobre brasas. Com muito mais coração do que cabeça.

Inadmissível (verdadeiramente inadmissível) a saída de Madaíl a 7 minutos do final do jogo (foi ao WC? Ficou a ver na TV? Mas somos crianças, para acreditar em desculpas esfarrapadas?).

Inadmissível a ausência de pelo menos uma pessoa (uma!!!) na flash interview. Perderam-se no estádio? Tanto tempo?!?

Não brinquem comigo.

O Mundial da Arábia Saudita (1989) ensinou-me a respeitar sobremaneira um Carlos Queiroz irrepreensível do ponto de vista ético e profissional.

Nunca imaginei uma ausência a uma flash interview.

Por amor de Deus!

Manuel Leão disse...

António:

Deve estar recordado do que lhe disse sobre Queiroz.Resumindo: - Bom como seleccionador dos jovens mas incapaz de liderar uma equipa sénior.

E essa, de não ir ao flash-interview, está ao nível do Madail a abandonar as bancadas, 8 minutos antes do fim do jogo.

Estou de acordo com ele, quando disse que o futebol às vezes é uma agonia. E até vou mais longe: - O futebol senior, com ele a treinador, é sempre uma agonia.

Luís disse...

apesar de todas as burrices, acredito na selecção de Queirós, António.

este grupo vai ser o mais equilibrado e onde se irão perder mais pontos.

claro que ele não poderá jogar com o Nani e com o Quaresma, ao mesmo tempo, nem com Migueis (a nenhum tempo)... nem com este João Moutinho (o rapaz deve querer sair em Janeiro de Alvalade...)

eu acho graça é os jornalistas que diziam que ele era a pessoa certa para o lugar certo, e que agora já não presta e que a sua contratação foi um erro. é só lermos os jornais do Verão e compararmos...

(luis eme)

PSousa*Bancada Directa* disse...

Caro Amigo,

Penso que mais do ser bom ou mau profissional, acho que é mais incompetência para área proposta, onde tem mais capacidades para um outro cargo, que penso ser a verdadeira razão da sua contratação, e por aí, sim, correcta, não líder dos AA, onde já provou que não é seu forte..

Se quiser, lei-a este artigo onde explico um pouco porquê.

http://bancadadirecta.blogspot.com/2008/10/seleco-novo-tempos-hbitos-passados.html

Abraço