sábado, 26 de julho de 2008

As coisas a melhorarem

Depois da vergonha do jogo contra a sofrível equipa do Sunderland, uma apresentação bem aceitável do Sporting no seu primeiro jogo no Torneio do Guadiana – Sporting 2 (Pedro Silva, Tonel), Blackburn Rovers 1. Para já a equipa parece mais certinha, mas ainda sem grande fulgor, o que também não seria de esperar. Com o Porto aparentemente mais fraco e o Benfica a viver os equívocos do costume, aguarda-se a época com alguma expectativa. Uma nota bem curiosa: nos penalties que este torneio tem sempre no final de cada jogo, Polga marcou um como se fosse um jogador com algum talento.
.

2 comentários:

Luís Graça disse...

A minha tarde foi passada na Gulbenkian a ouvir o Steven Saylor e depois estive a ler os jornais numa esplanada do Picoas Plaza.

Chegado a casa, um semi-melão (já esperava) por mais uma final perdida com a Espanha no Europeu de hóquei. Jogo fraquinho.

Por isso, até estaria disposto a ser menos exigente com o futebol. Vi grande parte do jogo.

E não estou nada convencido. O Rui Patrício teve uma bela saída "à Ricardo" e o Carriço andou um bocado à toa.

Admito que o Sporting mereceu ganhar, mas acho que o McCarthy e Companhia estavam mais numa de imperiais e tremoços.
Mau sinal para o futebol inglês.

E não percebi a razão de haver vários indivíduos de raça negra no adversário. Então não é o "Blackburn"? Se os pretos estão "queimados" como é que jogam a titulares? E porque é que um dos pretos não ficou castanho depois de levar um amarelo?

Manuel Leão disse...

António:

Não o vou contrair por gosto, longe disso, mas Polga tem talento. O que lhe falta, algumas vezes ou vezes demais, é concentração competitiva. Falta-lhe sorte e também aquela ambição que caracteriza os grandes obreiros das vitórias.
Essas características vejo-as eu,
evidentes, no Daniel Carriço! Esse, até na maneira como entra em campo, mostra que é um vencedor.

Saudações Leoninas e tenha alguma paciência com o Polga.