segunda-feira, 9 de junho de 2008

Um pequeno pardal, depois da feira do livro

Estive esta tarde na Feira do Livro de Lisboa. Para uma sessão de autógrafos. Ainda deu para uma espreitadela à Praça Leya, de onde saí com um autógrafo do Francisco («Longe de Manaus»). Cento e tal quilómetros depois, ao abrir o portão do monte, dei com um vulto pequenino no chão do alpendre. Era um pardal caído de um dos ninhos do telhado. Não se mexia. A poucos metros, em cima de um banco, um dos gatos, o amarelo, observava-o. Não sei por que é que terá esperado. Fui apanhar o pequeno pardal, que parecia assustadíssimo mas que aparentemente não tinha nada partido. Assim que o agarrei fechou os olhos, como se não quisesse ver as desgraças que imaginava que eu pudesse fazer-lhe. Andei com ele de um lado para o outro, primeiro para ir buscar um escadote, depois uma tenaz, depois mais um apoio para o escadote. Ele de vez em quando abria um olho, a espreitar. O gato estava que nem parvo a ver aquilo. Prendi o passarito na ponta da tenaz, sem apertar muito para não o magoar, subi pelo escadote e fiquei um bocado a pensar, a ver se descobria o ninho dele. Estavam seis ou sete ninhos por cima de mim. Escolhi um, à sorte, e meti lá o pequeno pardal, por um buraco muito apertado. Quando me afastei regressaram os pardais adultos, que estavam todos a ver a operação empoleirados no portão e nos muros. Há bocado fui ver se estava tudo bem e pareceu-me que sim. Devo ter acertado no ninho. Se morasse uns quilómetros mais longe da feira do livro, ou se fosse um escritor famoso e tivesse ficado a dar autógrafos até tarde, agora já não havia pardal. E teria um dos gatos todo contente da vida.
(a imagem é de há uns dias, de um dos pardais em cima de uma chaminé que fica em frente dos ninhos)

5 comentários:

António Souto disse...

Isto há gatos que sabem o afecto que os donos lhes têm, a eles e a muitos mais animais, alados mesmo.
Ou talvez este tenha apenas querido (também) um autógrafo em lugar de sangue...

Xantipa disse...

Eu já fiz coisas parecidas a pássaros e até a gafanhotos...
Enfim, é o que faz viver com 3 gatos e uma cadela.

Só lamento não ter podido ir à feira do livro, pois sendo sua fã e tendo todos os seus livros, não tenho um único autografado...

amv disse...

Em princípio vou à feira do livro de Faro, em Agosto.

Abraço,

António

Xantipa disse...

Vou estar atenta.
:)

Manuel Leão disse...

António:

Há passarinhos com sorte!

Passarões, já eu sabia que havia!
Refiro-me às aves de rapina, claro. "Honny soit qui mal y pense"!

Um abraço.