sexta-feira, 11 de julho de 2008

A janela

3 comentários:

adsensum disse...

Que bom!
Parece fresquinho cá dentro!

António Souto disse...

É o que eu digo, anda aí o montado impregnado de Pessoa. Ele é Pessoa dentro de casa, ele é um ouriço classicista à maneira de Reis aparecendo e desaparecendo, ele é um Caeiro guiando o seu rebanho em torno da casa (ou o contrário)...
Definitivamente, o Alentejo apetece como um barco, tem qualquer coisa de gomo...

amv disse...

António

Não vamos tão longe... Eu sei que este rebanho não é de Alberto Caeiro (a propósito, será que os burocratas de Bruxelas deixariam passar subsídios em nome de um heterónimo?).

Abraço,

António