terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

As calmas

Nesta fase isto já não interessa muito. Se calhar por isso é que vamos ganhando nas calmas. É a sensação com que se fica do Sporting 2 (João Moutinho, Liedson) – Estrela da Amadora 0. Ganhámos nas calmas, mesmo que o árbitro tivesse facilitado (dos dois amarelos que levaram à primeira expulsão no Amadora, só o segundo era justificado, e o penalty que o desastrado Polga falhou deu-me a ideia de que não existiu, e se não acabou em golo o que é certo é que levou à expulsão de um guarda-redes que já foi campeão pelo Sporting). No meio disto tudo, desta calmaria, mesmo com chuva a potes, não podiam faltar as asneiras: Paulo Bento já na parte final do jogo mandou entrar o ciclista (ou jogador de badminton, nem sei) Farnerud, e antes, no penalty, mandou o Polga ir marcar. A asneira no caso do penalty é a mais grave – um jogador disparatado como Polga tem sempre grandes hipóteses de não acertar a marcação de um pontapé-de-baliza (não acertar com o campo, já se vê), por isso no caso de um penalty nem vale a pena dizer o que ele tem mais probabilidades de fazer. Mas vamos interpretar a decisão de Paulo Bento como apenas um momento de humor... Por falar em momentos, não de humor mas de classe, obviamente que é de assinalar o do golo de João Moutinho, que se calhar foi o que fez com que a vitória acabasse por ser conseguida nas calmas; de assinalar também o reencontro de Liedson com os golos, mesmo oferecidos, o regresso de Pedro Silva e o facto de Purovic (o tal jogador – ? – que em termos futebolísticos toca a indigência) parecer estar definitivamente fora das contas para a equipa.

1 comentário:

Ricky disse...

Não faz mal, o Sporting este ano ainda vai ter muitos penalties para ir experimentando qual é o jogador ideal para os marcar.