domingo, 20 de janeiro de 2008

Pergunta discreta

Com o que tem acontecido nos últimos tempos no sistema financeiro português, não será de perguntar se há alguma coisa que distinga o ineficiente Banco de Portugal da generalidade da nossa administração pública?

1 comentário:

Manuel Leão disse...

Sr. AMV:

No que concerne à função de supervisão, estamos de acordo. E ainda com uma agravante: é que as remunerações não têm nada de semelhante com as da função pública.

Aliás, alguém esperava que Constâncio fosse penalizar as figuras de proa da finança portuguesa? Eles movem-se nos mesmos círculos.

Ele, que 9 em cada 10 vezes que fala na comunicação social, é para pedir contenção salarial. Para os trabalhadores, claro! "What else"?, como no anúncio do George Clooney!