quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

É o que dá uma pessoa afastar-se

Um dia afastado do blog e de tudo o resto e José Sócrates, assim sem mais nem menos, remodela o governo. Cultura e educação… A troca da ministra da Cultura, mesmo tratando-se de certa forma da minha área, tanto se me dá, até com a troca a ter sido por um advogado. Já a de Correia de Campos – como escrevi aqui há uns dias, uma pessoa absolutamente execrável – só pode ser vista com bons olhos; quanto à nova ministra, Ana Jorge, tive alguns contactos profissionais com ela em finais da década de 90 e a ideia com que fiquei é de se trata de uma pessoa serena e conhecedora da área – vamos a ver o que faz, num sector que apesar dos rankings que por vezes se mostram (Portugal no décimo segundo lugar em termos mundiais ao nível dos serviços de saúde, por exemplo) só nos pode deixar envergonhados (Correia de Campos ria-se, mas isso não era de admirar, pelos comportamentos que se lhe conhecem desde há muitos anos).

1 comentário:

Manuel Leão disse...

António:

Pois é, a mim também não me consultou. Vinha de Elvas e parei em Borba para beber um café. Como estava ali, aproveitei para comprar umas "garrafitas" na Adega Cooperativa. Quando voltei ao carro, ouvi na rádio, que o Sr. Correia de Campos tinha pedido para sair, talvez cansado de tanta ingratidão popular. E que Sócrates tinha tido pena dele.

Quanto à ex-ministra da Cultura, como nunca tinha dado por ela, também não vou sentir a falta.

Voltando à Saúde:
Infelizmente a nova titular já disse que vai continuar a mesma política. E, apesar do ar ter ficado menos poluído, também não vai haver grandes diferenças. O que fechou, fechou e o que está para fechar, vai fechar. Para quem necessita de cuidados, que diferença faz?
Pois é: "The fight must go on"!

Um abraço.