terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Como seriam as assembleias gerais?

Tirado de um trabalho dos jornalistas António José Vilela e Vítor Matos, publicado na revista «Sábado»…
«A filha Ana Catarina é o administrador suplente e a mulher Maria de Fátima era a presidente da Assembleia Geral [da DL, a empresa unipessoal de Dias Loureiro].»
.

1 comentário:

Luís Graça disse...

As AG estavam impregnadas de um simpático ambiente familiar.