sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Sem palavras

Provavelmente sou o único a nada dizer sobre a derrota de quarta à noite com a Dinamarca (a Dina marca, ou marcou, como ouvi a alguém). Mas a verdade é que não tenho palavras.
.

7 comentários:

Luís Graça disse...

Se fosse só o futebol (AA e Sub-21)...

A selecção de voleibol levou 3-0 muito pesados com a Eslovénia, impossíveis de recuperar em Portugal. Portanto, adeus Europeu de 2009!

A selecção de basquetebol perdeu três jogos seguidinhos, sendo que os disputados fora (Macedónia e Letónia) foram perdidos por cabazes, em que nem sequer marcámos 50 pontos. Adeus, Europeu!

Tempos difíceis...

CLeone disse...

Não percebo a falta de palavras, as coisas são simples apra um amigo do povo (da bola).
Abraço

Manuel Leão disse...

António:

Corro o risco, calculado, de ser "politicamente incorrecto", mas Queiroz, é aquilo.

Foi um óptimo seleccionador das camadas jovens, mas quanto a seniores estamos conversados. Não tem liderança nem vai resistir à pressão dos lobbies portista e benfiquista. É sintomático que, pela primeira vez, em algumas décadas, os jornalistas próximos destes dois clubes, estejam estranhamente de acordo, endeusando Queiroz. Não perdíamos em casa, para apuramentos, desde aquele fracasso, que culminou numa derrota frente à Itália, em que Queiroz também estava aos comandos. Scolari tinha um grupo de amigos, critério que eu verberava. Mas, e agora? Alguns até são os mesmos. Aquele não "ponta de lança", Nuno Gomes, por exemplo.

Se Soares Franco, segundo Queiroz - não o Eça, mas o Carlos - não sabe o que diz, a partir de certa hora, Queiroz, o Carlos, não sabe o que faz, para além dos 85 minutos. Parece-me, apesar de tudo, que Franco não foi tão pernicioso.

Quim, afinal, não dava frangos, porque não jogava. Apesar de tudo julgo que continua a ser melhor que Ricardo. Até ver, mas nunca fiando.
Oxalá eu me engane, mas vamos ter problemas no apuramento.

Saudações Desportivas!

amv disse...

Manuel, você está cheio de razão no que diz, do Carlos Queiroz, do Quim e por aí adiante. Mas há uma coisa, eu aprecio a maneira de estar do Queiroz, a sua capacidade de trabalho; o problema é que ele de facto tem limitações em termos de leitura do que acontece durante os jogos - não sei, por exemplo, se você se lembra das decisões que ele tomou em 1994, no jogo dos seis a três...

António

Manuel Leão disse...

António:

« (...)não sei, por exemplo, se você se lembra das decisões que ele tomou em 1994, no jogo dos seis a três...»

Não sabe? Talvez, mas deveria calcular. Eu estava lá, ali do lado onde tirou o nosso defesa esquerdo. O meu filho, muito novinho ainda, na altura da substituição, disse-me: Pai o que é que ele vai fazer. Ainda hoje me dói, só de lembrar. Apenas consegui amenizar as minhas mágoas no recente 5-3.

O homem não tem capacidade de liderança.

Quanto à maneira de estar de Queiroz, não se alargue muito. Conselho de amigo. Leu aquela questão, sobre um processo movido por um antigo representante dele? Alegadamente, terá andado quase nove anos a negar que tinha recebido uma indemnização qualquer, para não pagar a devida comissão (10% de 1.500.000 Euros). Agora, segundo li, admitiu, finalmente, que a tinha recebido. Parece que está eminente a sentença. Aguardemos.
Isto, para já não falar naquelas palavras, altamente reprováveis, que dirigiu a Soares Franco, independentemente de eventuais razões.

Saudações Desportivas e que Deus proteja a Selecção! Que bem precisa!

amv disse...

Manuel, eu estava atrás da baliza dos golos do João Pinto, e nem queria acreditar nas decisões que via o Carlos Queiroz tomar. No fundo, em termos de perceber de futebol - refiro-me a tácticas e outras coisas igualmente estranhas para muitos treinadores - ele acaba por ser uma espécie de versão educada do Scolari. Provavelmente vai dar tudo ao mesmo.

Abraço,

António

Manuel Leão disse...

António:

Ok! Quanto ao "educado", neste momento, tenho-o em quarentena para observação. Just in case!

Um abraço.