terça-feira, 29 de julho de 2008

O que vou escrevendo

Um pouco do que vou escrevendo…
Eu via as chamas e via o ribeiro a subir ao encontro delas, via o que imaginava, chegava até a sentir algum alívio por tudo estar a ponto de se resolver, com o milagre da água a subir o monte. Mais um erro daqueles em que a minha mente tantas vezes me fazia cair, o de pensar que tudo se resolvia sempre, nem que fosse à custa de coisas mirabolantes. Eu ali, a imaginar um milagre tão grande quando pouco tempo antes a realidade não tinha conseguido fazer o milagre de os bombeiros decidirem ficar…
.

4 comentários:

adsensum disse...

O que é feio do Pessoa e sua esfinge alentejana?

adsensum disse...

O que eu queria escrever era:
"O que é feito do Pessoa e sua esfinge alentejana?"
"FEITO" e não "feio".
O sono está a atacar-me forte. Deve ser isso.

amv disse...

O pequeno fantasma do Fernando Pessoa é um bocado como o Santana Lopes, anda por aí. A ver se o apanho um destes dias numa foto para colocar no blog. Da última vez que o vi pareceu-me um bocadinho mais gordo. Espero que não se esteja a transformar num fantasma do coitado do Mário de Sá-Carneiro.

adsensum disse...

Se assistir a alguma dessas transformações, avise, António. E se for de Mário de Sá-Carneiro, cá estaremos para lhe conhecer "as tormentas".