quinta-feira, 29 de maio de 2008

O fim?

Soares Franco perdeu mas na prática ganhou. Talvez tenha começado aqui o fim do Sporting. Entretanto, o texto de Rui Santos em que o fim era anunciado já teve resposta, uma resposta lamentável, como já se esperava. Rui Santos não foi agredido com barrotes como há uns tempos à saída da SIC, mas os gestores (?) do Sporting chamaram-lhe «cobarde», num comunicado em que se destacam outros adjectivos, como «patético» ou «miserável», para além de expressões como «humilhado e ridicularizado», «complexos de natureza pessoal ou profissional» ou «homem com um mínimo de carácter». O comunicado está aqui. Já o meu clube tivesse na sua liderança gente tão capaz para gerir um clube de futebol como Rui Santos demonstra ser enquanto comentador…

3 comentários:

Luís Graça disse...

Não precisei de ser muito inteligente para prever que o início das SADs era o fim dos clubes. Basta comparar os prejuízos financeiros que os clubes tinham na altura e os que têm agora.

No consulado de Pedro Santana Lopes o Sporting começou a perder modalidades. Agora, que restam poucas na Alta Competição, perde património, pois cada vez lhe resta menos para perder.

A passagem de Alcochete para a SAD é realmente o princípio do fim.

CA disse...

Meu caro António,
Estou de acordo , salvo quanto às elogiosas referências ao Rui Santos, que não me parece o tal comentador de referência que quer fazer crer. Com efeito, julgo que se trata de alguém que a coberto de um certo lobbie existente na imprensa e televisão portuguesa tem um palco que não corresponde minimamente ao estatuto correspondente.
A humilhação e o ridicularização a que se refere o comunicado do Conselho Directivo do Sporting tem a sua razão de ser, pois já assisti a 2 episódios na SIC onde o Rui Santos foi humilhado e ridicularizado seguido de um silêncio ensurdercedor da sua parte.
O primeiro por parte de Humberto Coelho onde a propósito do jogo Barcelona-Benfica da Champions de há 2 épocas e de um fallhanço do Simão nos últimos momentos do jogo, que não opinião do RS se deveu a um gesto técnico deficiente, HC se lhe dirigiu perguntando-lhe se alguma vez tiinha jogado futebol e como este lhe tivesse respondido que tinha jogado nos amadores, HC lhe replicou que não sabia o que estava a dizer pois se o Simão posto o pé na bola como o RS tinha afirmado então é que de certeza a mesma tinha ido para fora.
O RS , perante o riso de gozo do Toni que se encontrava ao lado do HC, nunca mais falou até ao final do programa, limitando-se a bater nervosamente com a caneta na mesa da SIC à volta do qual se encontravam.
A segunda foi quando o Paulo Bento também na SIC lhe disse que bem podia ter o quadro electrónico e mexer nas os jogadores como bem entendesse (curiosamente, a partir daí deixou de aparecer com o quadro electrónico) que ele não percebia nada do que estava a dizer, porque se lhe desse onze amendoíns para os mexer no tabuleiro não sabia o que fazer com eles e era obrigado a comê-los.
Também a partir daí o ódio de estimação do RS ao Paulo Bento é patente quase todos os domingos na SIC.
Por último, quanto à falta de carácter também sou tentado a dar razão ao Comunicado do Sporting pois alguém que não se dignou sequer a ir ao funeral do seu tio (Vítor Santos, ex-jornalista de A BOLA) de quem herdou a «fortuna» que hoje lhe permite disfrutar d a viad que hoje tem, para mim como pessoa vale pouco
Um abraço
Carlos Antunes

amv disse...

Caro amigo Carlos Antunes

Já tínhamos falado sobre isto. Eu o Rui Santos não o conheço, embora já tenha ouvido muitas histórias, do tio, da herança e essas coisas. Mas em geral gosto das opiniões dele, sejam resultado de estar ressabiado ou não (é sempre difícil estar com certezas sobre o que o leva a dizer as coisas).

Dos dois casos de que fala... O do Paulo Bento, estarão os dois ao mesmo nível, o Rui Santos com a história do quadro e dos amendoins, o Paulo Bento com aquela palavra («tranquilidade») que dizia sempre e que deixou de dizer quando passaram a gozar com ele por estar a fazer figuras tristes.
De qualquer maneira, eu aprecio os comentários do Rui Santos e mesmo achando que o Paulo Bento é um treinador pouco inteligente acho que deve continuar no Sporting porque sabe treinar a equipa (ou tem quem lha treine), assegura a disciplina e em certas decisões que toma nalguns jogos demonstra alguma esperteza, o que sempre compensa um bocado.
Quanto ao caso com o Humberto... Não vi, mas sendo como conta, então o Rui Santos podia muito bem ter respondido, mas se calhar tem vergonha de não ter sido jogador de futebol de topo, e naquele momento estava junto de antigas estrelas. Eu lembro-me do lance muito bem. Foi um jogo em que o Benfica foi completamente dominado (e no jogo em casa - empate a zero - ainda tinho sido pior), mas naquele momento do falhanço do Simão podia ter ganho a eliminatória quase sem saber como, depois de uma jogado do Micoli (estava a perder por um a zero, e acabaria por depois sofrer o segundo golo). O Rui Santos não tem razão naquilo que disse sobre a forma de meter o pé à bola, mas a resposta do Humberto Coelho foi completamente idiota. O Simão falhou o golo porque um lance assim é muito difícil de concretizar, tanto dá para marcar como para falhar, foi tudo muito rápido e nem dá para estar com palpites sobre a forma de meter o pé à bola. De uma coisa eu tenho a certeza, tanto o jogador amador Rui Santos como o defesa Humberto Coelho (ambos nos seus «bons» tempos) nunca seriam capazes de marcar golo naquela jogada (por mais explicações que se ponham a dar). E o Toni também não acredito que conseguisse grande coisa.

Um abraço,

António