terça-feira, 18 de março de 2008

Um golo tipo telenovela

Não foi, como no jogo com o Bolton, uma noite tranquila o Sporting 4 (Liedson 2, João Moutinho, Yannick), Nacional 1. Explico por que é que me pareceu que não foi… Apesar de a equipa alinhar apenas com jogadores válidos (até Polga parecia estranhamente que tinha jeito para o futebol, não cometendo as falhas que nos últimos anos o têm notabilizado), o que é certo é que tudo estava muito equilibrado, com o Sporting a ameaçar marcar mas com o Nacional a ameaçar ainda mais. Foi assim a primeira parte, o que, convenhamos, não é pouco. Depois, na segunda, nem sei se as coisas eram para ser iguais, de repente, em cinco minutos, três golos. Tinha saído Tiuí e entrado Vukcevic, que é bem melhor, embora o brasileiro, já se sabe, esteja muito mas mesmo muito longe de ser a vergonha que é Purovic. A mudança deu resultado. Vukcevic, que tinha ficado a descansar, foi fundamental no primeiro golo, com a sua teimosia para criar uma jogada que desse bons resultados. Fiquei com a sensação de que foi a chave para abrir uma fechadura que estava emperrada. Não se tratou de um lance de insistência, antes foi um lance de teimosia, temperado com um toque de subtileza de Pereirinha e com um remate frio de Liedson. Não me lembro nos últimos tempos de um golo tão invulgar, quase marcado por capítulos, tipo telenovela; ou romance, nem sei. O segundo golo, de João Moutinho, a mesma coisa; primeiro a confusão, a esperteza e fé de Liedson, e depois a habilidade de João Moutinho. O terceiro, esse já foi mais normal, com João Moutinho a retribuir o passe de Liedson uns minutos antes. Depois veio o penalty, para o qual eu não consegui arranjar jogador para marcar (talvez Ronny), receando que qualquer um pudesse falhar; Romagnoli falhou. Uns minutos depois, o golo de Yannick, num regresso que espero possa ser um bom sinal; eu acho que ele é um bom jogador, embora falhe muitas oportunidades e às vezes seja um bocado disparatado (no tempo que esteve em campo tive a sensação de que se mantém assim, de que a mudança é mesmo só no cabelo cortado, mas de qualquer maneira acho que é um jogador com o qual se deve contar no Sporting). Só mais umas notas: Paulo Bento voltou a fazer entrar Farnerud, que até pareceu disposto a lutar em duas ou três jogadas onde meteu o pé, e por isso, tudo bem, nem se leva a mal a decisão do treinador; Polga acabou como capitão (depois da saída de João Moutinho), o que não deixa de ser um bocado cómico; Rui Patrício desta vez pareceu mais seguro e Gladstone, o jogador com nome de pistoleiro dos livros de cowboys, nem sei bem, não percebi se conseguiu integrar-se ou se não conseguiu; Adrien esteve tranquilo, é muito bem jogador mas, não sei por quê, na segunda parte teve dois ou três lances em que ficou a dormir tipo Farnerud no seu estado normal. Mais duas coisas… A dificuldade em marcar penalties é mesmo um mistério; estive no estádio no jogo com o Bolton e notei a falta de à vontade dos jogadores no remate, notei isso no aquecimento e depois durante o jogo, o que denota falta de trabalho na academia (curiosamente, só o guarda-redes Stojkovic me pareceu confiante e verdadeiramente eficaz nos remates, quando esteve mais um dos técnicos a ajudar Rui Patrício a aquecer). Segunda coisa, os jogos em casa com o Nacional; este veio confirmar que são mesmo um bocado estranhos (veja-se um para a Taça de Portugal que meteu prolongamento, com Peseiro a treinar o Nacional, a derrota por quatro a dois no último jogo do campeonato que Peseiro já no Sporting perdeu quando tinha tudo para ganhar, a vitória por um a zero já com Paulo Bento e com o medíocre Caneira a marcar o golo num remate tipo totoloto e os cinco a um do ano passado com os cinco golos nos últimos quinze minutos e quatro deles a serem marcados por Carlos Bueno).
Claro que agora esta vitória por quatro a um seria melhor se estivéssemos a lutar pelo primeiro lugar, se não bastasse recuarmos uma jornada para cairmos naquele pesadelo de Guimarães, se tivéssemos responsáveis à altura da grandeza do clube e ainda mais algumas coisas. Mas a realidade é outra, bem diferente. É preciso ganhar a luta apenas pelo segundo lugar (o tal de onde não passam os sonhos de Filipe Soares Franco por causa de poupar nos prémios aos jogadores), a luta contra o Setúbal, o Guimarães e o Benfica. Parece-me mais complicado o Guimarães, o Setúbal nem tanto e o Benfica a verdade é que nem sei, tanta é a confusão que vai para os lados da Luz, onde o que parece que se passa é que todos estão com medo de que aconteça um verdadeiro descalabro e a equipa não consiga ganhar mais nenhum jogo até ao fim da época. Mas sobre o Benfica não gosto de meter em grandes análises…

14 comentários:

ana disse...

Estive no estadio e nalguns momentos quase me emocionei com a equipa. Gostava que fossemos sempre assim tão grandes.

CLeone disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
amv disse...

Carlos, por acaso você é amigo de alguém da sade?

CLeone disse...

que eu saiba não...
mas se pudesse meter o Moutinho a 10 e o ROmagnoli nas alas já ficava meio satisfeito

amv disse...

É que se não é amigo duvido que o ponham a supervisionar as contratações.

António

Manuel Leão disse...

António:

Concordo com muito do que disse sobre o jogo. E o que não concordo penso que já sabe o que é.

Sr. Cleone:

Cada um é livre de usar a "linguagem escrita" que quiser. Mas eu também sou livre de dizer que não gostei do seu comentário.

Até percebo que esteja desagradado com o futebol do Sporting. Eu também estou, mas julgo que usar essa "linguagem" não é refrigério para ninguém.

Existem no vernáculo português, para mostrar desagrado, outras palavras tanto ou mais expressivas do que as que utilizou neste comentário. Desculpe a franqueza.

A todos, saudações Leoninas.

amv disse...

Manuel e Carlos

Este blog tem moderação de comentários; mesmo assim, no caso do comentário do Carlos, eu não usei do «poder» que essa moderação dá. Mas sim, é melhor evitar o vernáculo; conto para isso com a compreensão de todos.

Um abraço,

António

amv disse...

Vou colar aqui abaixo uma cópia do segundo comentário a este post (do Carlos), sem os termos a que se refere o Manuel. Dois comentários que acabam de chegar, anónimos e impublicáveis, e que são uma espécie de resposta ao que o Carlos escreveu, a isso me obrigam. Lamento a situação.
-----------

O comentário que o Carlos deixou foi o seguinte:

CLeone disse...
A ana tem piada, pronto.
Quanto ao resto: só vi a segunda aprte, e o Polga esteve mal. O farnerud menos mal, de facto, ma tb, quando entrou...
Agora, Maradona:
XXXXXX, não sou uma pessoa possessiva em relação ao que é óbvio para todos. Frequentemente até acontece fazer o favor de traduzir por palavras difíceis e frases complicadas o que deveria penetrar sem dificuldade na cabecinha de quem tem cargos de responsabilidade neste país. Sucede que ninguém me ouve, coisa dificil de compreender dado o meu histrionismo. Vejamos o caso da política de contratações do Sporting. Eu, se fosse dirigente do Sporting, a primeira coisa que fazia era contratar-me para chefe do orgão que supervisiona as contratações do Sporting. O meu primeiro acto seria explicar calmamente ao Paulo Bento que a consequência racional do factóide o "Sporting não tem dinheiro" não é "o Sporting tem que comprar jogadores baratos". O Sporting tem é que comprar em sitios baratos, e comprar o mais caro que houver nesses sitios baratos. Ora, desde quando é que o Brasil, a Argentina ou a Russia são locais onde os jogadores são baratos? Está tudo louco. Qual é probabilidade de achar no Brasil um segundo avançado barato e bom? Eu digo: a probabilidade é Tiui. Qual é a probabilidade de achar um criativo barato e bom na Argentina? Eu digo: a probabilidade é Romanholi. Não é dificil saltar daqui para África, ou é? XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX: o que é que custa dar meio milhão de contos a cinco gajos que saibam ver futebol e tenham capacidades organizativas com a missão de trazer 50 pretos de Angola, Moçambique, Camarões e Costa do Marfim? Depois enfiá-los no infortunio da Academia durante dois meses e escolher cinco ou seis que sejam os novos reforços do ano seguinte? Pode sair pior que o Tiui? Não pode, XXXXX, não pode! E pode sair o Drogba ou um Essien! XXXX!

Abraço
Terça-feira, Março 18, 2008

amv disse...

E eliminei o comentário do Carlos lá acima.

CLeone disse...

olá a todos
grande confusão e a culpa não é toda minha...
COmo sabe quem leia estes comentários, não costumo recorrer a palavrões. E, neste caso, comoe scrtevi, tb não, transcrevi um post do Maradona, no blog A Causa FOi Modificada. Concordo com o que ele diz, e os palavrões são irrelevantes para o caso.
Lamento, ANtónio, os p'roblemas que o meu copy paste causou, comos abe sou todo a favor das moderaç
oes nas caixas e nos posts, no futebol, na política, nas intrigas litarárias, etc. Um Abraço
E uma Santa Páscoa para todos (em especial no Sábado...)

amv disse...

Afinal era o Maradona. Bom, a esse se calhar desculpa-se tudo...

António

CLeone disse...

Por falar em SPorting, a propósito de selecção: não quisemos C Martins, e agora o mais certo é ele ir ao Europeu (pelo menos ainda temos 40% do passe); quis-se Had (?...) mas não Jorge Ribeiro que foi de graça apra o Boavista e já está na selecção; Stojkovic, tb um miudo em vez de Nuno, que o Porto recuperou a preço 0... comprar barato e bom em Portugal tb é pssível, se se tiver gente conmpetente e se começar por não desperdiçar o que se faz em casa.
Abraço

amv disse...

Carlos

Uma ideia para o Sporting talvez fosse o clube criar uma academia de dirigentes. Em vez de ser no campo até poderia ser na cidade.

António

CLeone disse...

Apoiado!