quinta-feira, 6 de março de 2008

Os políticos actuais não vão escrever as memórias

Bem interessante a entrevista dada por Francisco José Viegas ao Tiago Salazar (revista «Magazine Artes» deste mês). «Volto aos exemplos dos políticos. Já reparou como são os seus discursos? Já comparou o grau de instrução efectiva dos políticos portugueses do século XIX com o dos de hoje? Acho que há uma diferença abissal. Esta gente, quando envelhecer, não vai escrever as suas memórias, pela simples razão de que não sabe escrever… Há excepções, que são saborosas, naturalmente, mas a média é muito fraquinha.»

1 comentário:

manuel Leão disse...

António:

Completamente de acordo.