sexta-feira, 7 de março de 2008

Em Bolton, onde não vi passar nenhum gestor

Bolton 1, Sporting 1 (Vukcevic). Frente a uma equipa tão tosca que se calhar poderia integrar na perfeição elementos como Purovic ou Anderson Polga, o Sporting passou quarenta e cinco minutos a dormir e mais quarenta e cinco e ver, como dizia o outro, se se safava. As coisas acabaram por correr bem, nomeadamente com o aparecimento de Vukcevic na parte final. Paulo Bento entrou com uma equipa certinha (tirando os problemas do centro da defesa e a insegurança de Rui Patrício, que até se meteu à maluca defender com as mãos uma bola bem fora da área) e não fez substituições parvas como por vezes acontece (pode-se até dizer que se esmerou com a entrada de Romagnoli e com a oportunidade concedida ao jovem Adrien). Mais… Nas imagens do jogo não vi passar nenhum gestor (?), o que é sempre de louvar e até faz com que me esqueça de que a sade existe. E outra coisa… Desta noite europeia, pelo que deu para perceber que aconteceu para os lados da Luz, fica uma sensação de enorme frustração pelo empate do passado fim-de-semana, assim como pelo atraso de cinco pontos que temos na classificação; e uma nota, também sobre o jogo da Luz: o avançado com nome de inspector da PIDE voltou a repetir a graça de dar uma cotovelada num adversário e o árbitro – ao contrário do inclassificável Paraty – não esteve com meia medidas e mandou-o para a rua (talvez a partir de agora esse avançado passe a ter mais cuidado, e também a evitar aquelas tiradas idiotas sobre o futebol não ser para mulheres).

2 comentários:

Manuel Leão disse...

António:

Quase inteiramente de acordo.
No entanto, dizem os adversários Ingleses que, no seu reduto, o Bolton não é "pêra doce".
Deu para confirmar que Vuk é um caso sério e que - tal como sustento já há muito tempo - Pereirinha é um bom jogador.

Quanto ao que escreveu sobre o "colosso da Luz", acrescento que eles foram iguais a si próprios; apenas lhes faltou o ponta de lança Paraty. Convenhamos que foi uma baixa de vulto. Dizem os entendidos que, para a próxima época, ele já não renova com o Benfica, o que obriga o Vieira a ter de ir ao mercado.
Para os "virgens" que duvidaram da intencionalidade da agressão do "machão" Cardozo, ele fez questão de esclarecer. Só que, na UEFA, não é costume mandar bola ao solo para sancionar aqueles golpes de Rambo.

Saudações Leoninas.

P.S. Como vê, o "jargão" de jornalista desportivo até é bastante acessível.

Luis Eme disse...

Concordo com o António.

Alguns jogadores precisam de sair do país, para perceberem que no futebol não vale tudo, e que nem todos os árbitros apitam com "lentes de garrafa"...