segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

A grave situação do Sporting

O empate em Coimbra – Académica 1, Sporting 1 (Tonel) – não surpreendeu. A situação – grave, muito grave – a que os gestores (?) do Sporting conduziram o clube fazia prever isto ou pior. Mas a equipa até fez alguma coisa, ao contrário, por exemplo, do que aconteceu no naufrágio de Setúbal; mesmo assim, alguns jogadores teimam em deixar a sua marca (veja-se a inabilidade de Polga já nem digo a atacar, mas na defesa, golo incluído, embora não tão grave como no Bessa, onde no segundo golo do Boavista foi completamente posto a ridículo). O problema está mesmo nos gestores (?), a começar pelo principal, Filipe Soares Franco (FSF), que ainda ontem à noite armou uma cena que só mostra o seu verdadeiro desnorte. Pode ler-se aqui. Do texto do link copio uma frase do jornalista Eugénio Queirós sobre FSF: «Há momentos em que não devia não diria dedicar uma hora por dia ao Sporting mas sim um segundo que fosse.»

4 comentários:

Luís Graça disse...

Os ventos estão de feição para os tiques anti-democráticos. No fundo, ainda está muito entranhado o princípio do "eu é que mando, eu é que sei".
As surpresas são cada vez menos, para mim.
Mas o Paulo Bento tem respondido com fair-play e dignidade.Confirma-se um homem de carácter. Já como jogador do Estrela da Amadora sabia relacionar-se com toda a gente.

Manuel Leão disse...

Sr. AMV:

Pois. Mas o comentário do Sr. Eugénio Queirós ainda consegue ser mais infeliz.

Mas, a esse respeito, já comentei há minutos no respectivo "blog".

Cumprimentos.

AMV disse...

Caro Manuel Leão

O comentáro é infeliz na referência ao «Portimonense qualquer».

António

Manuel Leão disse...

Sr. AMV:

E não só!

Infelizmente, porém, o meu comentário não foi (ainda?) publicado, no "blog" desse Senhor. Porém, como eu não acredito que haja censura, voltei a remeter o comentário, retirando um palpite meu que já estava obsoleto.

Pode ser que eu esteja errado, mas não quero acreditar que hoje em dia, no meu Sporting, os problemas se resolvam com "chicotadas", mesmo que "só" psicológicas.

De qualquer modo, quem tem telhados de vidro ...