segunda-feira, 1 de outubro de 2007


1 comentário:

Luís Graça disse...

Medronho...mel..
Assim é que devem ser os livros que importam: ao mesmo tempo violentos e doces.
Também acabei a minha "tournée" de Trás-os-Montes, Espanha e Beja cheio de garrafas.
Tintos de Léon, tintos alentejanos, licores dos templários (Currucus, Hotel Temple, Ponferrada) e licores de Beja.