quinta-feira, 12 de julho de 2007

Um olhar de fora

Um olhar de fora de Monchique; notável olhar, o de José Alberto Quaresma (hoje no «Correio da Manhã», crónica «Quintas do Algarve») sobre a situação na Câmara Municipal de Monchique.

Tuta-e-meia
Monchique é o tecto do Algarve. Uma pequena autarquia de sete mil habitantes. Gente boa. Carlos Tuta preside aos seus destinos. Há quase um quarto de século. Legitimado por sete renovadas maiorias absolutas. É tanto tempo que a cadeira presidencial tem tendência para ganhar a mesma patine que o sofá lá de casa.
Por tuta-e-meia – cortiça mal vendida pelo Monchiquense – Tuta retirou ao vereador Carlos Henrique os pelouros do Desporto, Cultura, Acção Social, Protecção Civil e Ambiente. O ambiente, na câmara, ficara pesado porque Carlos Henrique votara ao lado da oposição.
Tuta é voluntarioso. Pensa bem. Tem autoridade. Gosta de poupar os vereadores a esforços. Se o presidente pode votar por eles, nas sessões camarárias, por que diabo António Mira e Carlos Henrique terão de fazer o esforço de levantar o braço? E por que há-de Carlos Henrique ter, episodicamente, opinião diferente de Carlos Tuta que melhor pensa por ele?
Pensando bem. Se Tuta, nos tempos áureos da Praia da Rocha, sabia exercer (com dificuldade, é certo) o seu voto de castidade, por que não há-de permitir, agora mais leve, que outros o façam? Os monchiquenses são uma família. E, como nas boas famílias, há opiniões discordantes. O poder do patriarca – manda a sabedoria – fica bem que seja magnânimo!

4 comentários:

Luís Graça disse...

Pá, também não retirou assim tantos pelouros como isso...

Anónimo disse...

Não são muitos, não... Agora ficou com estes todos (informação da câmara):
Fundos Estruturais; Recursos Humanos; Rede Viária e Trânsito; Sistemas de Informação Geográfica; Ordenamento; Urbanismo; Obras Particulares; Energias; Habitação; Turismo; Saúde; Protecção Civil; Desenvolvimento Local; Mercados e feiras; Desporto, Juventude e Tempos livres; Cultura; Acção Social; Ambiente; Serviços Urbanos (Resíduos Sólidos Urbanos; Conservação e manutenção de jardins; Serviços de veterinária; Cemitério); Iluminação Pública; Rede hidrográfica.

Luis Eme disse...

O nome em si, Tuta, é uma graça...

Agora o resto, é um pouco o retrato deste país, cheio de "dinossauros", que inventam fórmulas para se perpetuarem no poder, fingindo que estão a fazer grandes obras públicas e a prestar altos serviços à nação.

O problema deve ser dos espelhos que vendem a estes fulanos, que os fazem sentir-se únicos...

Luís Graça disse...

Ó senhor Anónimo, por amor de Deus!
Estive a contar os pelouros e são apenas 21!

Não me diga que 21 pelouros para uma pessoa concentrada e diligente são muitos pelouros para tratar...
Se fosse eu, aguentava muito mais.

Por exemplo, ponha-me na cama com a Sharon Stone e veja se eu não me aguento com muito mais pelos louros...