quinta-feira, 31 de julho de 2008

A vergonha está quase a chegar

Faltam poucos dias para o início dos jogos olímpicos da vergonha, os de 2008, que vão dar um grande contributo para caucionar a barbárie da ditadura de Pequim. Por falar em vergonha, vergonha deviam ter os responsáveis do Comité Olímpico Português, por mandarem para estes jogos os nossos atletas. E os do Comité Olímpico Internacional ainda mais vergonha deviam ter, porque a sua cumplicidade com a barbárie é bem maior. De qualquer forma, o Comité Olímpico tem uma longa tradição de suporte a ditaduras (veja-se o caso da edição de 1980, em Moscovo, onde Portugal não marcou presença), nalguns casos ditaduras piores até do que a chinesa (basta lembrar a edição de 1936, em Berlim, com o Comité Olímpico de braço dado com a Alemanha nazi).
.

3 comentários:

Anónimo disse...

Como estas cores são pele. A pele mais funda.

Anónimo disse...

Tem toda a razão, António Manuel Venda. É a vergonha das vergonhas.
Ver a dor dos meninos que trabalham 18, 20 h e dormem no chão duro e comem bocados de pão e são violentados das mais diversas formas. Ver homens e as mulheres com a carne em sangue. E ver o terrível todo que sabemos - o melhor mesmo é não descrever mais, assim, pelo menos, não caímos no chão por falta de forças. Mas há quanto tempo existe esta situação?Qual o motivo porque só se fala delas quando as mesmas se mediatizam? Bem sei, enquanto não se mediatizam, a maior parte das vezes, estão ocultas. Bem sei, bem sei, mas muitas vezes não é assim, a maior parte das vezes não é assim... que podemos fazer para além de falar? Denunciar? Não chega, não chega...

Luís Graça disse...

Os Jogos têm de passar ao lado da política. Não se deve cair na tentação de politizar os Jogos.

O problema esteve na atribuição. Os factores de negócio e de política ultrapassam os desportivos.

Os boicotes de Moscovo/80, Los Angeles/84 e Seul/88 foram maus.

O afastamento tantos e tantos anos da África do Sul foi um erro.

Antes e depois dos Jogos é a altura para denunciar. Para fazer política. Os Jogos devem ser o último reduto do sonho. Não podem ser aproveitados.

Alguém, no mundo dito civilizado, tinha alguma dúvida quanto à essência da China?

Ainda assim todo este barulho acaba por dar má imagem da China, o que nunca é o objectivo do país organizador.

E depois fica tudo na mesma. Porque são os Governos dos países e as organizações internacionais quem (não) tem poder para alterar as coisas.

Quanto aos comités olímpicos nacionais e internacionais ainda são das instâncias desportivas menos poluídas.

Se quisermos boicotar quem pratica atrocidades, até Sacavém é banida do desporto, porque já foi cortada uma cabeça na esquadra!

O Jamor desaparecia como palco desportivo, porque lá foi assassinado um adepto com um very-light, na final da taça.