domingo, 13 de julho de 2008

O alentejano tranquilo

Mais uma hipótese de título para um romance (eventualmente de um autor estrangeiro).
. .

5 comentários:

antónio souto disse...

O cão vigia o bebé; o bebé, em breve, vigiará o gato, não venha o ouriço espicaçá-lo, ao gato, e destranquilizá-lo, e com isso roubar-lhe a idiossincrasia alentejana...
Isto ainda acaba por se tornar em fábula!

Inês Ramos disse...

É pá! Que espectáculo! Adoro este gato!
:-)

tomasvasques disse...

Monica Ali,natural de Daca, Bengladsh, já escreveu alentejo blue (Caderno, 2007). Não é a sorte grande, mas é a terminação. Abraço.

AMV disse...

António, pois, uma fábula, vamos a ver. Olha, do ouriço desconfio de que se está a transformar num animal doméstico. Por estes dias falarei disso.

Inês, o Lito é o gato que está mais por aqui, os outros cada vez andam mais pelo montado, desaparecidos não sei em que combates. Mas voltam, pelo menos de noite para comerem.

Tomás, uma coisa de que nunca falei muito (tirando aqui por casa)... O meu último romance, que tem a capa ali ao lado e cuja acção decorre no Alentejo, era para se chamar não «Alentejo Blue», mas «Alentejo Blues». Só que entretanto saiu o livro da Monica Ali e pronto, tive de arranjar outro título à última hora; até uma das fotos de capa que estava a ser considerada apareceu na edição portuguesa do livro da Monica Ali. De forma que acabou por ficar «O que Entra nos Livros», com aquela foto de uma conhecida rua de Évora (Alcárcova de Baixo). A foto foi comprada pela editora a um banco de imagens; poucos dias depois de o livro ter saído, o homem que na foto caminha debaixo do arco apareceu - ver aqui http://floresta-do-sul.blogspot.com/2007/05/ainda-por-desenvolver.html

Abraço aos três,

António

Luís Graça disse...

Este gato tem uma forte costela Amy Whinehouse, os palcos é que são diferentes.