domingo, 13 de abril de 2008

Animais de «O que Entra nos Livros» (5)

Às vezes ia no carro pela estrada de terra que atravessava o montado até à estrada de alcatrão e via à minha frente uma sombra; travava então um pouco e uma águia surgia a voar uns dez metros acima do chão, enorme, quase do tamanho de uma galinha, mas vigorosa, dona dos ares, a águia a dar a ideia de que era capaz de ser dona de tudo o que quisesse naquele momento.
Excerto do romance «O que Entra nos Livros»; foto em www.aviary.org.

2 comentários:

Manuel Leão disse...

António:

Não tenho podido acompanhar o "blog".

Mas, António: - águia vigorosa, não é um animal extinto?

Não quereria antes dizer: galinha vigorosa?
Tenho-me esquecido de dizer que já li o "Medo Longe de Ti", de que gostei.

E também li "Lavagante". Devo-lhe um agradecimento, porque a decisão de o ler, nesta altura, teve como base o seu "blog". Tenho andado atarefado, mas este é um prazer que não dispenso.

Um abraço.

amv disse...

Manuel

Aqui à volta de casa há muitas águias (embora a foto desta não seja daqui). Um dia veio uma pequena cá para casa; estava no caminho para cá, cheia de sede, por se ter perdido do ninho. Mesmo debilitada, ia-me ficando com um dedo, coisa que uma galinha de certeza nunca faria. Lá bebeu água até se restabelecer e depois o que tivemos foi de levá-la para perto do ninho, sempre de olho no bico. E a pensar que a mãe devia andar por perto com ar de poucos amigos.

Abraço,

António