sábado, 12 de janeiro de 2008

A última entrevista de Luiz Pacheco

A última entrevista de Luiz Pacheco, hoje no «Sol» (na revista). Deve ler-se a versão que está no site, aqui, porque não sofreu o arranjo da versão em papel. Por exemplo, quando a certa altura Pacheco diz (no site) «Isso é de um filho da puta, aquele gajo, o Ricardo Araújo Pereira.», na revista está «Isso é daquele gajo, o Ricardo Araújo Pereira.»; ou então quando diz (de novo no site) «Se calhar, não vos passava pela cabeça que o Santana Lopes, o putanheiro da 24 de Julho, tivesse actos desses.», na revista está «Se calhar, não vos passava pela cabeça que o Santana Lopes tivesse actos desses.»; ou ainda quando diz (mais uma vez, no site) «Aparecia o José Hermano Saraiva – eu detestava aquele filho da puta – que é um artista da aldrabice…», na revista está «Aparecia o José Hermano Saraiva – eu detestava-o – que é um artista da aldrabice…».

2 comentários:

Luís Graça disse...

A hipocrisia é cada vez maior. O Camacho disse "jodidos" e já vem um pequeno texto em A BOLA a explicar que em espanhol é mais "chateados". Pois. É por isso que os espanhóis têm a interjeição "joder!".
Gostava de perceber porque é que se pode ser o palavrão no site e não se pode ler no jornal. Tanto num caso como noutro as pessoas só lêem se quiserem.

Ainda tem mais piada por ser o Luiz Pacheco. Passa pela cabeça querer entrevistar o Luiz Pacheco e depois querer suavizar-lhe o discurso?

Ao menos no meu caso, quando pretendi entrevistá-lo para uma revista, em 1996, disseram-me logo que não.

E isto num tempo em que "não faz mal" ouvirem-se os muitos "foda-se" no "Call Girl". Toda a gente tem desculpado o vocabulário usado no filme, começando pelo Nicolau Breyner. E muito bem.

Modas...

CLeone disse...

Bem topado!