quarta-feira, 4 de outubro de 2006

Motorista de família

Já vem atrasado, mas só agora copiei do blog onde escreve um amigo meu. Chama-se «Portugal Descrente» e está aqui. É o despacho do ex-ministro dos Negócios Estrangeiros, Diogo Freitas do Amaral, publicado no Diário da República de 12 de Julho de 2006 (reproduzido no blog a 16). Reza (ou antes, diz, já que se trata de uma publicação de um estado laico) assim: «Louvor n.º 532/ 2006 – Louvo José Lopes Cardoso, motorista do meu Gabinete, especialmente encarregado do apoio automóvel à minha família directa, pelas suas excepcionais qualidades humanas, além de uma excelente educação, elevada competência profissional, capacidade de condução segura, pontualidade, aprumo pessoal e absoluta discrição. Senti-me sempre muito tranquilo por saber que estavam nas suas mãos os membros da minha família mais próxima que, por uma razão ou por outra, precisavam dos seus serviços, de que sempre muito gostaram./ 30 de Junho de 2006. – O Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Diogo Pinto de Freitas do Amaral.»
Comenta logo a seguir o meu amigo (que assina CA): «Agora que o ministro Freitas do Amaral se foi embora, fica-se a saber por um despacho de louvor publicado no DR que tinha ao seu serviço, pago pelo Estado, um motorista para prestar apoio à ‘família directa’ e que por sinal gostava dos serviços do dito!!! E depois ainda querem que acreditemos em tudo isto!!!»

1 comentário:

Luís Graça disse...

Podem dizer o que quiserem. Para mim, o melhor motorista é o Ambrósio, do Ferrero Rocher Racing Team.